domingo, 23 de abril de 2006

Abatedouro

Pessoas desnudas correndo desesperadas por um corredor estreitíssimo. Gritam de desespero. Lá do alto uma vara muito cumprida chega perto de um deles e ao encostar na pele causa um grito doloroso. Eles tem pressa. Não podem perder um minuto. Assim eles fazem você avançar pelo corredor. Lá na frente você pode ouvir os gritos. Mesmo assim você não consegue voltar. Não te deixam. Os gritos estão cada vez mais altos. Finalmente você chega no final do corredor, entrando em um lugar completamente escuro. Não se pode ver nada. Você sente ser agarrado e levantado. Pendurado de cabeça para baixo. Você sente a sua presença. A morte está a seu lado, esperando o momento de te consolar. Você sente cada vez mais próxima essa sensação. De repente, você sente um fio passar por sua garganta. Sente muito frio. E sente como se algo fosse tirado de seu pescoço. Começa a ficar com o corpo dormente. Então percebe. Sua garganta está dilacerada. Seu sangue escorre aos litros para dentro de um balde. Você não se cotém e começa a se debater. Nada adianta. Você está morrendo. E para que? Por uma "boa" causa. Para os alimentar.