sexta-feira, 4 de maio de 2007

A Mosuca

Entrou em desespero quando sentiu
todas aquelas moscas pousando em seu rosto.
Debatia-se, estapeava-se e nada adiantava.
Elas iam e vinham. Umas atrás das outras.
Debatia-se mas não podia se mover.
Estava preso dentro de um corpo inerte.

A tampa foi posta. Ficaria,
agora, sozinho com a eternidade.

[baseado em O MORITURO de Mario Quintana]

02/05/07 - 12:20