quarta-feira, 27 de abril de 2011

Ausência

A falta do corpo, a falta do calor.
O surgimento do sentimento.
Parece que estou em outros tempos
e que não posso realizar.
Vivo no sonho.
Tudo que é concreto é podre.
TUdo que se torna concreto apodrece.
Encurralado pela minha personalidade.
Cerco feito pela mediocridade.
Soluço à beira, eternamente.
Fotogramas se mesclam com a sujeira.

A ausência é sentida com mais intensidade
do que a presença mais forte.