quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Fique

Hoje;

hoje não me deixe sozinho com um livro.

Deixe pelo menos seus braços,

que já me enrodilharam.

Deixe a proximidade que alcançamos.

Deixe os seus dentes

que me mordem carinhosamente a pele.

Deixe os arrepios que me dava.

O seu sorriso matutino

lento e preguiçoso.

Deixe aquele beijo que me deu na face

tão sincero e súbito

que me tirou o fôlego.

Deixe a si mesma

pois que tudo isso não é nada

sem você para juntá-los.