quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Vingança

Tocou a campainha. Atendeu-a um homem gordo de uns cinqüenta anos que, reconhecendo o visitante se preparava para pergunta “que...”, quando o garoto se virou de costas, pegou um revolver do bolso e atirou dentro da própria boca fazendo a bala sair pelo topo da cabeça e espirrando sangue na cara do velho, que estava estático, com olhos e boca bem abertos.


Havia pensado, “se eles pretendem me prender, vou fazer isso antes, foi o que prometi”. Estava sempre com aquilo na sua cabeça; prometeu e cumpriria. Queria que o tio sofresse, assim como ele sofreu, vendo sua mãe tendo que fazer todo tipo de trabalho sujo e podre, se humilhando para sustentar a família. Vendo o seu pai pelos cantos da casa com a vida a se dissolver. E o bosta do tio fazendo de tudo para não ajudar. Fingia desconhecer os fatos. Quando alguém comentava, ele fugia do assunto, se escondia para depois alegar que não sabia.

O tio era rico. Tomou a empresa do irmão, se aproveitando que este tinha problemas com a jogatina, vendeu-a e fez dinheiro. O irmão logo se jogou de um prédio turístico no centro da cidade. Ele foi ao enterro e fez um belo discurso para o amado irmão.


Quando seu pai finalmente morreu, a mãe pediu abrigo ao tio já que sua casa havia sido tomada pelos credores. A casa do tio era grande para todos, mas ele alegou que estava fazendo uma grande reforma e que assim não poderia ajudá-los.


Quando sua mãe morreu, foi morar na casa do tio, decidido assim pelo juiz por ser o parente mais próximo e capaz de criá-lo. Na casa não dava descanso ao garoto. Não o deixava sair nunca e enchia-o de tarefas.


Quando finalmente completou dezoito anos, saiu daquela casa, para gozo do tio que sonhara com aquilo por dois anos. Envolveu-se em protestos políticos sempre tomando partido dos mais pobres, até começar a ser procurado pela polícia por acusação de agitador e perturbador da ordem pública. Quando descobriu que estavam mesmo atrás dele, sabe-se lá com que outros vis intuitos, pensou “se eles pretendem me prender, vou fazer isso antes, foi o que prometi”.