terça-feira, 18 de março de 2008

Perfeição

Estava triste. Estava sozinho. Tinha perdido a família inteira em um acidente de trânsito. Pais, tios, avós, primos. Não era uma família muito grande, mas coincidentemente estavam todos no mesmo ônibus, indo para o litoral passar o fim de ano. Bastou um carro passar-lhe à frente para o ônibus capotar, foi o que lhe disse o guarda rodoviário. Com certeza seria um choque para uma pessoa ordinária, mas ele era forte. Ao menos era o que ele achava. A primeira noite depois do acidente foi insone. Apenas na segunda conseguiu dormir um pouco. E sonhou.

Estava escuro, não se via nada. Sentia apenas uma brisa suave, mas não conseguia distinguir de onde vinha. Foi então que ouviu uma voz, rouca e irônica.

- Sente-se bem?
- Quem é?
- Não te interessa!
- Não seja covarde! Apresente-se. - Disse insolente como sempre.
- Está bem. Muitos me chamam de “deus com Letra Maiúscula”. Mas você pode me chamar como quiser, invente uma palavra.

- Deus não existe! Isso é óbvio.
- Hm. Eu já tive várias crises existenciais. Tantas pessoas dizendo que eu não existia. Outras contradizendo com tanta fé que sim, eu existia. Mas sabe de uma coisa? Eu acho que eu existo. E se não existir, não tem problema. Eu finjo existir e é o suficiente. A questão é que eu sei o que aconteceu com você, ou o que NÃO aconteceu. Sei muito bem, se é que me entende.
- Mas se você é deus, então você é o culpado por isso.
- Está certo.
- E porque fez isso? O fato de eu não acreditar em você o irrita?
- Bem, acho que você já foi convertido. Afinal está falando comigo.
- Isso não vem ao caso! Diga porque fez isso!
- Porque costumo ficar entediado sozinho, então faço uns acidentes para me animar.
- Entediado?! Mas você não é perfeito? Como poderia ficar entediado?
- Já se olhou no espelho?
- Que quer dizer com isso?
- Quero dizer que se você reparar em si mesmo verá que é imperfeito. E se você é imperfeito, eu que te criei também sou. Se eu fosse perfeito não erraria nas minhas criações. Uns dizem que eu estou testando vocês, por isso os fiz imperfeitos. Mas eu não acredito nisso. Devem estar mentindo para me animar.
- Mas se é imperfeito por quê tem o poder que tem? Não te parece errado?
- Sim, mas na Terra existem muitas pessoas que têm muito poder e mesmo assim são tão imperfeitas quanto eu. Na verdade mais. Você agora parece uma pessoa razoável. Garanto que já pensou que se tivesse tal poder não usaria em proveito próprio, ou faria algo para ajudar os que não têm tal poder. Não é verdade? Mas a real verdade é que todos são corruptíveis, e muitos dos que hoje têm grande poder já pensaram assim como você. Mas depois de um tempo, quando você percebe a enormidade do poder que tem em mãos, é muito difícil pensar nos outros. Um dia você está mais fraco, mais cansado e não tem paciência para lutar contra os desejos. Eu sei bem o que estou falando, sofro disso. É como um vício, você diz que na próxima vez que for tentado não cederá, mas todos sabem que na hora não é tão fácil. O prazer vence tudo, qualquer força de vontade, eles apenas preferem acreditar que podem resistir. Essa é a maior vantagem de ser quem eu sou. Eu posso assistir tudo "daqui de cima", como dizem alguns. Sei de todas as mentiras que contam, sei de todos que têm medo, sei quais são os defeitos de todos.
- E onde você está? Onde estamos agora?
- Em todo lugar, no seu sonho, espalhados pelo universo. Você nunca poderia ir onde eu estou, nem se tivesse poder para tal. Porque não sou físico, nem estou em um lugar físico. É como a tal da realidade paralela ou universo paralelo. Estou em todos os lugares e em nenhum lugar ao mesmo tempo. Imagino que não entenda.
- Acho que entendo sim.
- Acha mesmo?
- Acho! Mas isso não faz diferença. Você mudou o assunto completamente. Por quê derrubou aquele ônibus? Não têm piedade? Não têm sentimentos que te doam quando percebe a infelicidade dos que ficaram, dos que sentirão saudades eternas?
- Sentimentos eu tenho, mas como eu já disse tenho também muito poder. De vez em quando eu posso fazer algo bom ou útil para alguém, mas a maioria das vezes eu apenas vou fazer o que me divertir, o que me der vontade. Isso é muito normal na minha opinião, muito humano. Não vê como as pessoas são? Não vê que as pessoas se importam mais com acidentes e catástrofes do que com boas ações. Quantas pessoas param quando vêem alguém dar dinheiro para uma mulher esfomeada com dois filhos pequenos, ou qualquer coisa do gênero? Agora me diga quantas pessoas param para ver quando um acidente de carro sério acontece. Quando há possibilidades de mortes e ferimentos sérios. Se uma batida acontecer, todos olharão. Tudo bem, é a curiosidade e o reflexo que estão agindo, mas repare que se for uma batida sem importância onde no máximo um pára-choque se amassa, todos continuarão seu caminho. Agora, se a batida for grave e eles perceberem que provavelmente existem feridos, eles querem olhar, querem saber. Você pode me dizer que é a curiosidade novamente, mas afinal a curiosidade não dá um certo prazer? Não te dá prazer “matar a curiosidade”? Se eles não obtivessem prazer com a curiosidade não ficariam lá, observando o metal torcido, as pessoas gritando das janelas de um prédio em chamas, etc.
- Então admite que a Terra é apenas o seu joguinho particular, que nós humanos somos apenas peças de um tabuleiro que você manuseia como quer? Admite isso, mesmo sabendo que todas essas peças têm sentimentos, que sofrem? Você não pode dizer que não sabia que podíamos sofrer, como uma criança quando atira uma pedra em um pássaro, ou quando pisa em um inseto. Não pode dizer isso. Você é pior que uma criança!
- Sim, eu admito. Mas é assim que as coisas são. Vocês estão em meu tabuleiro e eu estou jogando com vocês, como qualquer humano que caça um animal por diversão, que mata insetos para colecioná-los. Se eu fosse um humano você não poderia me condenar por estar agindo assim. Você está se esquecendo que eu também sou imperfeito, não posso simplesmente ignorar meus anseios, meus desejos. Às vezes desejo me divertir, e se apenas me divirto com o sofrimento de vocês então não há outra escolha, prefiro me divertir custe o que custar a sofrer por não poder me divertir. Também sou egoísta. E não me diga que eu sou pior que uma criança, pois quem não é pior que uma criança? Todos são melhores e piores que uma criança. As crianças mesmo são, ao mesmo tempo, abençoadas e amaldiçoadas com sua pureza. Por causa de sua pureza as crianças não violentam outras crianças, não roubam dinheiro de outras pessoas, não se incomodam de estarem com as roupas sujas. Mas apenas por quê isso não as interessa. Elas não têm o desejo sexual para suprir, o dinheiro não as serve de nada e não importa a roupa que usem porque não importa mesmo se estão usando roupas ou não. Mas quando é algo que as interessa, elas agirão tal como os adultos. Elas roubarão, mentirão e machucarão. Não importa quem esteja no caminho. Você pode pensar que se os humanos tivessem a sabedoria da terceira idade e a inocência e pureza das crianças o seu mundo seria melhor, mas isso não é verdade. Porque eles ainda teriam os desejos, eles ainda teriam os tais sentimentos, eles ainda seriam imperfeitos! O mundo nunca será um lugar perfeito porque não existe perfeição! E o mundo nunca será um bom lugar porque ninguém consegue vencer os próprios sentimentos! Não está me vendo agora?
-... Você espera ser desculpado simplesmente porque alega ser imperfeito?
- Não é assim que vocês agem? Não cometem seus erros deploráveis e depois dizem que são humanos, que são imperfeitos e que por isso devem ser perdoados? São todos hipócritas! Querem que os criminosos sejam presos sem compaixão, mas quando os criminosos são vocês esperam e choram por misericórdia. Tenho tanto direito de usar minha imperfeição como desculpa de meus erros como vocês. Já pensou que desde tempos remotos até os tempos atuais nada mudou? A Terra é tão imperfeita e ruim quanto sempre foi. E eu não posso fazer nada. Talvez pudesse se fosse perfeito, mas se fosse perfeito não precisaria fazer isso. Pois agora sabe também que não sou onipotente, não tenho o poder para fazer qualquer coisa, porque não tenho poder para fazer isso. No final tenho quase tanto poder de mudar o mundo quanto você. E isso não me agrada... Acho que não foi uma boa idéia falar com você; só me aborreci. E isso não é bom para vocês.
- Espere! Por favor, não me deixe acordar. Não tenho vontade nenhuma de continuar vivendo depois de saber tudo isso. E aproveitando que estou aqui, eu poderia muito bem continuar aqui.
- Não posso fazer isso.
- O quê?!
- Tenho curiosidade, de saber como vai encarar a vida de agora em diante. - sorri.